ESTRÔNCIO

por Marcus Fabiano

television-tube

O tubo de raios catódicos (TRC) é uma dessas maravilhas tecnológicas de longa duração. Combinando descobertas de química e física do século XIX, ele imperou quase absoluto, durante o século XX, na forma de caros e volumosos televisores, esses objetos já de memória esvanecida ou mesmo museológica para as novas e novíssimas gerações nascidas sob o reino dos monitores planos e portáteis de plasma e LED. Desde os anos 1950, o TRCs passaram a também emitir imagens coloridas, completando assim o ciclo da revolução visual que traria para o recôndito dos lares um efeito semelhante ao do cinema projetado em película colorizada. Mas isso só se tornou possível graças ao uso dos cristais de Estrôncio nos tubos. Há poucos dias, em uma imagem celebrada pelo mundo científico, a barreira da invisibilidade atômica foi transposta exatamente com um átomo de Estrôncio, que acaba de ser revelado em uma fotografia na qual paira solitário em uma corrente magnética. Não pude deixar de lembrar dos conhecimentos de química que eu trocava pelos de eletrônica com o meu amigo Telmo de Souza, inventor precoce,  quando tínhamos entre 12 e 13 anos em Porto Alegre. Enquanto eu frequentava lojas de reagentes e vidraria de laboratório na rua Doutor Flores,  ele passava suas tardes na Avenida Alberto Bins, procurando transíntores e outras peças para as placas de circuito impresso que ele próprio corroía e perfurava. Um dia resolvemos trocar nossas fórmulas e traquitanas. Até hoje acho que saí ganhando. Construí uma galena (mono) que podia captar uma estação de FM sem nenhuma fonte de energia e ainda um sistema de alarme sensível à luz e à presença humana. Muito depois de largar o laboratório e a bancada de componentes, essas coisas foram parar em um poema do meu livro de 2012, que também refere-se a um saudoso site de fotografias (A luz desnumbra) mantido até o colapso de seu provedor.

 

TUBO DE RAIOS CATÓDICOS

sim, a gravidade é só esse detalhe
se um trapézio emparelha o Pégaso
e o olho é o novo umbigo do limbo
com os ouvidos por tubo digestivo

mera burla nesse cipoal de psicóticos
que se abole à custa de uns colchetes
e mormaços de manás propiciatórios

o teclado no covil dos metacarpos
e logo a luz desnumbra os nimbos:
raios escarificam bruxas e odaliscas
imoladas em fogueiras de vaidades
ou atiçadas por suas próprias crinas

recolados à tela da TV que somos
as muitas Moiras e um Belerofonte
se revelam no elemento estrôncio.

 

.

Anúncios